Palhoça

Palhoça 

O município de Palhoça está localizado a 19 km da capital catarinense Florianópolis. Oferecendo uma diversidade de atrativos aos seus visitantes, desde os naturais como as praias e cachoeiras até os feitos pelo homem como as construções históricas e praças.

Palhoça possui a praia da Guarda do Embaú eleita como 9ª Reserva Mundial do Surf, primeira praia e única da América Latina a receber essa condecoração; e também o bairro sustentável Cidade Pedra Branca, construído com base no movimento Novo Urbanismo.
 

Visite Palhoça e surpreenda-se!

Histórico

No ano de 1651, Dias Velhos chegou  a Ilha de Santa Catarina, denominando-a de Desterro. Após vieram os açorianos e madeirenses, chegando as primeiras famílias na Ilha de Santa Catarina em fevereiro de 1747. O povoamento açoriano-madeirense tem sua origem no edital que D. João V mandou publicar em 1747. O objetivo de D. João V em enviar casais açorianos e madeirenses, era povoar as terras brasileiras e resolver o problema de excesso de população nos arquipélagos dos Açores e Madeira.

Os primeiros colonizadores a chegarem em Palhoça foram os portugueses (vindo da parte continental de Portugal), que se estabeleceram na Enseada de Brito, por volta de 1750.

Em 1771, portugueses de São Vicente (São Paulo) fundaram Lages. Nesse período houve a necessidade de ligação entre as duas localidades, resultando na abertura de uma estrada que ligava Desterro a Lages. Poucos anos depois, em 1777, a Ilha de Santa Catarina foi invadida por espanhóis. Em decorrência da invasão, o governo decidiu construir duas povoações defronte a capital, na terra firme, como era chamado o continente. O objetivo principal dessas povoações era dar guarida aos desterrenses, além de servir de escudo militar à Ilha no caso de novas invasões. O governo decidiu ainda, povoar o sertão as margens do caminho que ligava a Ilha a Lages. Da necessidade de criar um refúgio no continente caso houvesse novos ataques a Ilha de Santa Catarina, fez com que em 31 de julho de 1793, o Governador Cel. João Alberto de Miranda Ribeiro enviasse ofício ao Conde Rezende, vice-rei do Brasil. No ofício, o governador incumbe a Caetano Silveira de Matos a construir palhoças[1] para guardar farinha na estrada que ia para Lages. Nesta data, deu-se a fundação do povoado. No início, as tropas de gado que abasteciam a Ilha desciam a estrada de Lages até o Morro do Tomé e de lá vinham margeando a praia até a desembocadura do rio Maruim, onde parte ia para freguesia de São José e parte atravessava o canal até a localidade do Ribeirão da Ilha. As tropas margeavam a praia, pois tinham grandes dificuldades para atravessar um trecho de mangue e pântano, hoje parte da rua principal de Palhoça (Avenida Aniceto Zacchi). Além, de não quererem pagar o pedágio estabelecido por São José, no caminho que passava pela localidade de Passa Vinte. Com o aumento da demanda de alimentos provenientes do continente e a movimentação das tropas, foi construída uma estrada atravessando o pântano. Com o aumento da povoação, após a construção da estrada, a população deslocou-se mais para o sul, estabelecendo-se o centro definitivo de Palhoça, onde é hoje.

No ano de 1873, Palhoça foi elevada a condição de Distrito Policial. Desde sua fundação, até este período, Palhoça continuou como arraial, sendo esquecida política e administrativamente, apesar do aumento de seus habitantes e do desenvolvimento da economia.

Por volta de 1824, iniciou-se a imigração alemã para o Brasil em Santa Izabel, que mais tarde viria a pertencer ao município de Palhoça. As principais causas da imigração alemã na região foram o excesso de população na Alemanha, as guerras constantes e, a propaganda brasileira atraindo colonos com promessa de doação de terras.

A primeira igreja de Palhoça foi construída em 1868, mais tarde passou a chamar-se de Nossa Senhora do Parto. No final do mesmo ano, inicia-se a construção da Igreja Matriz, com vistas à criação da freguesia. A Matriz se deu por concluída em 1883, sem ainda as torres laterais. Embora houvesse sido construída, não foi logo provida de vigário. A paróquia foi simplesmente criada novamente em 03 de maio de 1901, pela Cúria Diocesana de Florianópolis.

Formação Administrativa

Freguesia criada com a denominação de Senhor Bom Jesus de Nazaré da Palhoça, pela Lei Provincial n.º 949, de 08-11-1882, subordinado ao município de São José.

Distrito criado com a denominação de Senhor Bom Jesus de Nazaré da Palhoça, por Lei Provincial n.º 1.141, de 28-09-1886, subordinado ao município de São José.

Elevado à categoria de Vila com a denominação de Palhoça, por Decreto Estadual n.º 184, de 24-04-1894, desmembrado de São José, sede na vila de Palhoça. Constituído de 4 distritos: Palhoça, Enseada de Brito, Santo Amaro do Cubatão e Teresópolis. Instalado em 27-04-1894.

Pela Lei Municipal n.º 8, de 22-09-1902, é criado o distrito de Santa Izabel e anexado ao município de Palhoça.

Pela Lei Municipal n.º 9, de 22-09-1902, é criado o distrito de Santa Tereza e anexado ao município de Palhoça.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 6 distritos: Palhoça, Enseada do Brito, Santo Amaro do Cubatão, Teresópolis, Santa Izabel e Santa Tereza.

Pela Lei Municipal n.º 251, de 29-03-1917, é criado o distrito de Núcleo Anitápolis e anexado ao município de Palhoça.

Pela Lei Municipal n.º 271, de 23-11-1917, é criado o distrito de São Bonifácio do Capivari e anexado ao município de Palhoça.

Elevado à condição de cidade, por Lei Estadual n.º 1.245, de 22-08-1919. No quadro de apuração do Recenseamento Geral de 1-9-1920, o município de Palhoça, é constituído de 8 distritos: Palhoça, Santo Amaro do Cubatão, Enseada do Brito, Teresópolis, São Bonifácio do Capivari, Santa Izabel, Núcleo Anitápolis e Santa Teresa.

Pela Lei Estadual n.º 1.048, de 04-10-1922, desmembra do município de Palhoça o distrito de Santa Tereza para formar o novo município de Bom Retiro.

Pelo Decreto Estadual n.º 25, de 11-12-1930, o município de Garopaba é extinto, sendo seu território e o distrito de Paulo Lopes anexado ao município de Palhoça.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 9 distritos: Palhoça, Santo Amaro do Cubatão, Enseada do Brito, Teresópolis, São Bonifácio do Capivari, Santa Izabel, Anitápolis (ex-núcleo Anitápolis), Garopaba e Paulo Lopes. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 31-12-1938.

Pelo Decreto Estadual n.º 238, de 01-12-1938, o distrito de Santa Izabel passou a denominar-se Rancho Queimado.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 9 distritos: Palhoça, Anitápolis, Enseada do Brito, Garopaba, Paulo Lopes, Rancho Queimado, Santo Amaro (ex-Santo Amaro do Cubatão), São Bonifácio do Capivari e Teresópolis.

Pelo Decreto-lei n.º 941, de 31-12-1943, desmembra do município de Palhoça o distrito de Rancho Queimado para formar o novo município de São José. Sob o mesmo decreto o distrito de Santo Amaro passou denominar-se Cambirela e o distrito de Teresópolis a denominar-se Queçaba.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município constituído de 8 distritos: Palhoça, Anitápolis, Cambirela, Enseada do Brito, Garopaba, Paulo Lopes, Queçaba e São Bonifácio.

Pela Lei Estadual n.º 247, de 30-12-1948, o distrito de Cambirela passou denominar-se Santo Amaro da Imperatriz. Em divisão territorial datada de 1-7-1950, o município é constituído de 8 distritos: Palhoça, Anitápolis, Enseada do Brito, Garopaba, Paulo Lopes, Queçaba, Santo Amaro da Imperatriz (ex-Cambirela) e São Bonifácio.

Pela Lei Estadual n.º 344, de 06-06-1958, desmembra do município de Palhoça os distritos de Santo Amaro da Imperatriz, Anitápolis e Queçaba para formar o novo município de Santo Amaro da Imperatriz.

Em divisão territorial datada de 1-7-1960, o município é constituído de 5 distritos: Palhoça, Enseada do Brito, Garopaba, Paulo Lopes e São Bonifácio.

Pela Lei Estadual n.º 79, de 19-12-1961, desmembra os município de Palhoça o distrito Paulo Lopes. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Estadual n.º 795 de 19-12-1961, desmembra do município de Palhoça o distrito Garopaba. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Estadual n.º 840, de 23-08-1962, desmembrado município de Palhoça o distrito de São Bonifácio. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído de 2 distritos: Palhoça e Enseada do Brito. Assim permanecendo até hoje.

Fonte: Palhoça (SC). Prefeitura. 2013. Disponível em: . Acesso em: abr. 2013.

 

[1] O nome do município originou-se de casas construídas de pau-a-pique, com cobertura de palha, denominada palhoça, na localidade da atual região sul do bairro da Ponte do Imaruim. Posteriormente outras construções de pescadores localizaram-se ao redor deste núcleo, com as mesmas características.

 

Galeria de Fotos
    Não há registros para serem exibidos
Agenda
    Não há registros para serem exibidos